Paradoxo do tempo

Pede por calma, que o tempo apressou sua alma

Ou rapidez, pelo final da semana

Que chegue e o domingo alongue

 

Quantos cafés, cigarros, calmantes,

para ultrapassar os ponteiros ou segurá-los?

 

Espera ou apressa a hora, o dia, semana, mês, ano.

E é hora de sonhar de novo!

E passa.

 

E nos desperdiçamos em planos,

telas

e prantos.

 

E derrete, escorre, voa

E o clamamos de volta.

Pergunte a Quintana, por que viver dia a dia?

A vida assim jamais cansa.

Monótona, rotineira.

Com picos de felicidade.

 

Lua de Sofia

 

 

Mera-mente humano
Culturalmente não factual

Comments

  1. Tempo.
    Tempo que pode ser unidade de medida ou algo indefinido.
    Algo materializado em ponteiros ou algo infinito.

    Quanto tempo o tempo tem?
    Não se sabe até quando vai, muito menos de onde vem!

  2. Tempo.
    Tempo que pode ser unidade de medida ou algo indefinido.
    Algo materializado em ponteiros ou algo infinito.

    Quanto tempo o tempo tem?
    Não se sabe até quando vai, muito menos de onde vem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fotos recente do Instragram

Instagram did not return any images.

Siga a gente no Instragram

© 2019 Lua de Sofia Blog · Criado por Agência House