Os incomodados que se retirem?

Fui ao teatro com minha família. Entramos no salão e os organizadores nos indicavam as direções para que chegássemos aos nossos assentos.

Sentei e me acomodei. As poltronas eram confortáveis, mas acabei ficando nas últimas fileiras, por ter comprado o ingresso no dia. A abertura foi feita e o espetáculo começou. A peça chamava O Capote, com uma abordagem dramaticamente cômica sobre nossa condição existencial. Fascinante.

Naquele início porém, o que me incomodava era a existência de uma mulher na fileira ao meu lado, mastigando pipocas e, aos meus ouvidos, amassando a embalagem. Voltei-me para peça, não era aquele barulho que esperava de fundo musical: mastigava, engolia, amassava, mastigava, engolia, amassava, mastigava… Era um saco de pipoca infinito.

As pessoas à minha frente olhavam para moça. Não era só a mim que incomodava. Alguns a olharam por longos segundos para chamar-lhe atenção. Sem sucesso. O saco parecia ter vida nas mãos da mulher. Outros olharam-na de relance e balançavam a cabeça em reprovação, mas as pipocas saltavam para sua boca.

Depois de demorados quinze minutos, a mulher acabou sua refeição barulhenta. Embolou o papel. Estrondoso. Limpou a mão quase batendo palmas e lambeu os beiços. Todos que ouviram o espetáculo de fundo suspiraram aliviados pelo silêncio. Eu também.

Moral da história? Existem pessoas sem noção. Ou até inconscientes do que fazem . No ENEM alguém abrirá um pacote de Doritos e irá mastigar violentamente para seus ouvidos. Você pode olhá-lo enfurecido. Talvez ele nem o enxergue. E suas contas se misturarão com os farelos que caem sobre a mesa deste alguém. No trabalho o colega da mesa ao lado baterá a caneta freneticamente sobre a mesa, enquanto pensa sobre suas atividades. Mas você não quer ser o chato, estressado. Alguém vai ouvir música alta no ônibus, batendo o recorde da falta de desconfiômetro. Mas quem quer criar barraco? Um sem noção. Outro inconsciente. Lei da convivência.

Duas semanas depois, voltei ao teatro e comprei uma pipoca. Não deu tempo de comê-la fora do salão. Quando entrei acelerei o processo. Não queria ser a moça fazendo barulho mastigando pipoca.

Convivendo que se aprende. Incomodados não se retirem. Retira daquilo algo consciente.

Ou crie um barraco, se preferir.

Os Retalhos
Culturalmente não factual

Comments

  1. VC eh tão rica Sofia! Riqueza no sentido puro e singular do conhecimento, da nobreza, dos espaços qe VC se permite em cada olhar, em cada fato, em cada pessoa ! Parabéns ! Jóia rara de se ver ! Orgulho nosso! Bjo gata !

  2. VC eh tão rica Sofia! Riqueza no sentido puro e singular do conhecimento, da nobreza, dos espaços qe VC se permite em cada olhar, em cada fato, em cada pessoa ! Parabéns ! Jóia rara de se ver ! Orgulho nosso! Bjo gata !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fotos recente do Instragram

Instagram did not return any images.

Siga a gente no Instragram

© 2019 Lua de Sofia Blog · Criado por Agência House